Politica

Marcelo e Costa na cimeira da CPLP para cumprir "uma muito boa tradição"

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, falou sobre a  XII cimeira da CPLP que acontece nos dias 17 e 18 de julho, na ilha do Sal, em Cabo Verde

O ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou que Portugal tem a "muito boa tradição" de participar, com a presença do Presidente da República e do primeiro-ministro, nas cimeiras da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e da Conferência Ibero-Americana para evidenciar a sua "especial atenção".

"Nós temos boas práticas de relacionamento institucional dos órgãos de soberania. Compreendemos muito bem, diferentes Governos e diferentes presidentes, como podemos cooperar uns com os outros na promoção da imagem de Portugal e na realização da política externa de Portugal", referiu Augusto Santos Silva, em declarações à agência Lusa.

A XII cimeira da CPLP, cujo tema é  "Cultura, Pessoas e Oceanos", acontece na próxima terça e na quarta-feira, dias 17 e 18 de julho, na ilha do Sal, Cabo Verde.

Na história das cimeiras da organização lusófona, Portugal fez-se sempre representar pelo chefe de Estado e pelo chefe do Governo, com exceção da reunião de São Tomé e Príncipe, em 2004, quando o então primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, não compareceu porque coincidia com a apresentação do programa de Governo.

"A boa tradição é que o Presidente e o primeiro-ministro estejam, sempre que possível, ambos representados na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e também na Conferência Ibero-Americana, assim marcando a especial atenção que o Estado português dedica a esses dois grandes espaços linguísticos", indicou Santos Silva.

"Acho que é uma muito boa tradição portuguesa", sublinhou.