Sociedade

Casos de cancro da pele vão aumentar significativamente este ano

Presidente da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo deixou alerta e referiu que os maus comportamentos humanos vão fazer com que o número de pessoas com cancro da pele aumente este ano.

Vários especialistas preveem que, este ano, apareçam mais 12 mil novos casos de cancro da pele, dos quais "mil serão de melanoma", isto porque os humanos continuam a ter comportamentos de risco, disse à Lusa o presidente da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC), Osvaldo Correia.

“Estimamos que haja 12 mil novos casos de cancro de pele este ano em Portugal e mil serão de melanoma" - tipo de cancro mais mortal, garantiu o especialista.

O responsável falava à margem de uma ação de formação para mais de meia centena de trabalhadores de uma empresa nacional que operam ao ar livre, em Coimbra.

De acordo com Osvaldo Correia, os melanomas correspondem a entre 5 a 10% de todos os cancros de pele, mas representam três quartos das mortes registadas anualmente em Portugal, e de forma a reduzir este número, só a adoção de medidas preventivas o pode fazer.

Além disso, o presidente da APCC indicou ainda que os trabalhadores ao ar livre, como é o caso dos agricultores e dos desportistas, são aqueles que devem ter cuidados acrescidos, passando então pela utilização de protetor solar acima do fator 30, chapéu de sol com abas, vestuário de manga comprida e óculos escuros com proteção 100% contra raios ultra violeta A e B.

“É preciso estimular vivamente o uso de chapéu que cubra adequadamente as orelhas, porque nas orelhas, no nariz e nos lábios temos muito cancro de pele, que atingem os praticantes de desporto e as profissões ao ar livre", disse o mesmo responsável à Lusa.