Internacional

Americanos vão poder imprimir armas de fogo em 3D

O tribunal decidiu que Cody Wilson poderá publicar os planos para impressão de uma arma de fogo com recurso a uma impressora 3D

A partir de 1 de agosto, os cidadãos dos estados unidos vão poder fazer o download do projeto de arma para imprimir em 3D. Os ativistas pelos direitos das armas chegaram a acordo com o governo, avança a CNN

A guerra começou quando Cody Wilson, ativista pelos direitos das armas, publicou os planos de impressão de uma arma, em 2013, à qual chamo “O Libertador”. A pistola é feita quase na totalidade de plástico ABS, o mesmo material que se utiliza nos Legos, e pode ser produzida numa impressora 3D.

O Departamento de Estado norte-americano – equivalente ao Ministério dos Negócios Estrangeiros – ordenou o fim do plano de Wilson uma vez que estava a violar o Regulamento Internacional de Tráfico de Armas. As autoridades usavam como argumento que qualquer pessoa poderia fazer o download da arma, mesmo num país onde a venda de armas não fosse permitida.

Cody Wilson não se conformou com a proibição e avançou com um processo judicial em 2015, depois do projeto ter atingido um milhão de downloads.

Segundo a sentença do tribunal, a 29 de junho, Wilson vai poder voltar a publicar os planos de impressão da arma e o governo terá de pagar 40 mil dólares ao ativista pelas despesas judiciais.

A decisão do tribunal não foi aceite unanimemente, principalmente porque as “armas fantasma”, com são chamadas, não têm qualquer tipo de número de série o que as torna impossíveis de identificar.

Para além de oferecer o projeto aos utilizadores, o site de Cody Wilson dá ainda a oportunidade de qualquer pessoa partilhar os seus projetos pessoais de armas em plástico.