Sociedade

Tancos. Marcelo não se pronuncia porque não existem novos factos "de instituições com poder para investigar"

Recorde-se que o Expresso avançou com a notícia de que não tinha sido recuperado todo o material militar furtado em Tancos

DR  

Marcelo Rebelo de Sousa recusou-se esta sexta-feira a comentar o roubo de armamento do quartel de Tancos, uma vez que não existem "factos novos provenientes de instituições com poder para investigar”.

“Fiz sair uma nota no domingo passado e depois não houve factos novos que justificassem uma nova tomada de posição. Portanto, até haver factos novos provenientes de instituições com poder para investigar, não faz sentido estar a comentar", disse o presidente da República, segundo a notícia avançada pela agência Lusa.

Depois de questionado sobre as respostas dadas por Azeredo Lopes, ministro da Defesa, na terça-feira, Marcelo acrescentou: "factos novos não vi nenhuns. Em relação aos factos que realmente se conhecia, há notícias, há fontes que dizem que é assim ou que não deixa de ser, mas factos provenientes de uma investigação que está a decorrer em Segredo de Justiça, não conheço".

Recorde-se que o Expresso avançou com a notícia de que não tinha sido recuperado todo o material militar furtado em Tancos e na terça-feira, Azeredo Lopes declarou que não tinha tido conhecimento da “alegada discrepância” da recuperação do material.