LifeStyle

5 qualidades que distinguem os verdadeiros dos falsos amigos

Existem várias pessoas que consideramos amigos. No entanto, com o passar do tempo, apercebemo-nos que afinal não são tão leais quanto esperaríamos…

Existem certas qualidades num verdadeiro amigo que não devem ser ignoradas. Aqui ficam os cinco pontos essenciais – existem muitos mais, mas estes sim são imprescindíveis – que distinguem um amigo autêntico de um enganador.

1.    Ri-se connosco e de nós: Um verdadeiro amigo sabe partilhar connosco os momentos de alegria. Não tenta ofuscar o centro das atenções e é genuíno na forma como fica contente pelo seu companheiro. De tal forma genuíno, que sabemos que quando se ri de um erro estúpido que fizemos ou de uma situação mais constrangedora em que estivemos envolvidos, não existe nada de ‘maligno’ ou de gozo nas suas gargalhadas. Sabe apenas relativizar os problemas e ajudar-nos a ver o lado cómico do acontecimento;

2.    Chora connosco e por nós: É também aquele que sabe partilhar a dor – sem a relativizar, mas também sem exagerar. Não pergunta se precisamos de ajuda, parte logo para a acção. Conhece-nos de tal forma, que sabe que não vão ser as ‘palmadinhas nas costas’ que nos vão ajudar, mas sim uma conversa sincera ou uma ida ao cinema sem grandes confusões, por exemplo. É o amigo verdadeiro que sente a nossa tristeza e que sofre connosco, não deixando para trás aquilo que nos magoou e partilhando a dor que nos foi provocada;

3.    Frontalidade acima de tudo: O verdadeiro amigo é aquele que nos aponta os erros de uma forma construtiva, sem ‘deitar abaixo’ e exageros. Valoriza as nossas qualidades e identifica-se com as nossas virtudes, mas aconselha-nos a seguir caminhos diferentes quando percebe que as nossas escolhas podem não ser as mais acertadas;

4.    Não faz julgamentos: Apesar de detectar o erro, este amigo não nos irá apontar o dedo caso decidamos continuar no mesmo caminho. Pode não concordar com as escolhas, mas irá guardar o nosso segredo e não irá rotular-nos apenas com base num erro. Não vai espalhá-lo pelo nosso grupo de conhecidos ou comentar com outros amigos, pois sabe que a lealdade e a confiança são qualidades que demoram a conquistar, mas que se perdem em apenas cinco segundos;

5.     Igualdade de dedicação: As amizades demoram tempo a construir-se. Seguindo o exemplo dado por Saint-Exupéry no livro ‘O Principezinho’,  temos que ser responsáveis por aquilo que cativamos. No entanto, não pode haver esforço apenas de um lado. Temos que nos dedicar aos nossos amigos, devotar-lhes parte do nosso tempo, mas este tipo de dedicação tem que ser recíproca. Ou seja, o verdadeiro amigo é aquele que não fica à espera que lhe liguemos a perguntar se quer ir tomar café, mas que também tem a iniciativa e arranja espaço na sua agenda para nos proporcionar verdadeiros momentos de lazer.

joana.alves@sol.pt