Sociedade

Tancos. O Exército nunca “deu garantias de que o material recuperado correspondia ao material furtado”

Rovisco Duarte garantiu não ter possibilidades de poder afirmar com exatidão se há ou não material em falta

 

Depois de ter dito, esta terça-feira, que não ia entregar ao Parlamento a lista de material recuperado do roubo aos paióis de Tancos, ocorrido em 2017, por se encontrar em segredo de justiça, o Chefe de Estado-Maior do Exército, Rovisco Duarte, afirma que “nunca o Exército deu garantias de que o material recuperado correspondia ao material furtado”.

Rovisco Duarte garantiu não ter possibilidades de poder afirmar com exatidão se há ou não material em falta, depois de terem sido recuperados após o roubo de Tancos.

Neste momento, o material está sob a custódia da Polícia Judiciária.  

Recorde-se que na carta de Rovisco Duarte, a que a Agência Lusa teve acesso, o general explica que a lista foi realizada pela Polícia Judiciária e enviada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal - responsável pelo caso do roubo - e que se encontra "à guarda do Exército", tendo carimbo "confidencial".