Politica

PCP lamenta promulgação do Presidente da República à “Lei da Uber”

Comunistas defendem que a nova lei “abre portas à destruição” do setor do táxi

O PCP lamenta que o Presidente da República tenha promulgado o diploma que vai regular as plataformas eletrónicas de transporte como a Uber e a Cabify.

Os comunistas defendem que a nova lei “abre portas à destruição de um setor de base nacional – o setor do táxi”.

“As alterações à lei agora introduzidas por PS, PSD e PAN, com a abstenção do CDS, em nada modificaram a natureza e objetivos do diploma que favorece a ação de multinacionais, como a Uber e a Cabify, que operam no transporte individual de passageiros, e criam um regime paralelo e de concorrência desleal, em prejuízo do país, dos utentes e dos profissionais”, afirma, em comunicado, o PCP.

O PCP garante ainda, num comunicado “sobre a promulgação do Presidente da República à Lei da Uber”,  que vai continuar a lutar para “impedir a existência de dois regimes com regras diferentes para um mesmo serviço e uma mesma profissão”.