Sociedade

Liga dos Bombeiros admite que preferia que o SIRESP fosse do Estado na totalidade

Na passada quarta-feira, a Altice Portugal revelou que exerceu o direito de preferência na compra das ações da Esegur e Datacomp no SIRESP. Assim, a empresa passa a deter 52,1% do capital social da SIRESP SA.

Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, afirmou esta quinta-feira que preferia que o Estado assumisse na totalidade a administração e propriedade do Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP).

"Tenho alguma preocupação porque preferíamos que, sendo uma ferramenta tão importante, estivesse debaixo da dependência do próprio Estado. Era para nós uma prioridade que estivesse", disse em declarações à Agência Lusa.

Recorde-se que na passada quarta-feira, a Altice Portugal revelou que exerceu o direito de preferência na compra das ações da Esegur e Datacomp no SIRESP. Assim, a empresa passa a deter 52,1% do capital social da SIRESP SA.

O Estado fica com uma participação de 33% do SIRESP e, de acordo com a Lusa, terá direito a nomear dois membros do conselho de administração, incluindo o presidente e dois membros da comissão executiva. Contudo, não será o acionista maioritário como ,em outubro do ano passado, o ministro da Administração Interna havia anunciado, afirmando que o Estado iria deter uma participação de 54% do capital social do SIRESP.

Jaime Marta Soares disse que a Liga dos Bombeiros ficou a saber desta notícia com surpresa e considera que a decisão atual do SIRESP não é uma boa opção.