Desporto

Camilla Kemp é nova campeã de surf

A cascalense de 22 anos venceu pela primeira vez a Liga MEO Surf, depois de quatro segundos lugares. O próximo objetivo, revela ao SOL, é juntar-se a Kikas no circuito mundial.

O surf nacional feminino tem um novo nome na lista de campeãs: Camilla Kemp. A atleta natural de Cascais, de 22 anos, venceu a Liga MEO Surf na última quarta-feira, em Ílhavo, na quinta de seis etapas pontuáveis para a atribuição do título feminino e única exclusivamente dedicada ao surf feminino. Camilla, que já tinha vencido a etapa inaugural da competição, na Ericeira, somou 6.75 pontos na final, onde teve de enfrentar ondas na casa dos dois metros.

«É incrível, um sonho concretizado. Demorei algum tempo a conseguir um objetivo que já quero há alguns anos. Comecei a fazer surf aos dez anos, desde os 16 ou 17 que faço liga e quando comecei a chegar às finais a coisa ficou mais séria. A partir daí sempre sonhei ser campeã nacional», referiu ao SOL a atleta do Clube Quinta dos Lombos. Dona de um currículo invejável, em Portugal e a nível internacional, Camilla somava porém quatro segundos lugares no campeonato nacional. «Nos primeiros fiquei feliz pelo resultado, mas às tantas o segundo lugar já não era suficiente, queria mais e ficava desiludida. Sabia que faltava alguma coisa no meu trabalho, e por isso tentei ajustar algumas coisas, mudar algumas rotinas. Foi especial consegui-lo agora», assumiu, salientando que o facto de ter entretanto deixado de estudar e se ter dedicado exclusivamente ao surf pode ter dado um contributo muito importante para o sucesso agora alcançado.

Orgulho em Portugal

No horizonte da cascalense, filha de mãe alemã e pai holandês, está agora um sonho ainda mais vincado: a chegada ao WCT, o circuito mundial da modalidade, onde está Frederico Morais, conhecido no meio por Kikas. «Já ando há algum tempo no circuito de qualificação mundial e acredito que é possível chegar lá um dia. É um objetivo grande, tenho de trabalhar muito para isso, mas eu vejo-me lá!», realça Camilla, que nunca equacionou competir com outras cores: «Nasci em Portugal, sempre vivi cá, sempre fui atleta da seleção portuguesa e é Portugal quem eu gosto de representar. Tenho família na Alemanha e na Holanda, vou lá de vez em quando visitar mas nunca muito tempo, porque também não gosto de ficar longe do mar (risos)! Lá não tem surf, então não dá para ficar muito tempo.»

A nova campeã nacional, que considera o seu surf «bonito de ver» por permitir que se perceba a alegria que sente quando está no mar, voltará agora à ação entre os dias 4 e 6 de Outubro, no Bom Petisco Cascais Pro, a última etapa da Liga MEO Surf. Nesta, refira-se, decidir-se-á o título nacional masculino, numa corrida liderada para já por Vasco Ribeiro, que ostenta o título de campeão nacional.