Sociedade

Com 18.600 cães considerados perigosos em Portugal, só 300 donos têm formação obrigatória

Em 2013, foi introduzida a alteração na lei que obrigada a que todos as pessoas que queiram ou tenham cães perigosos recebam formação específica

Portugal conta com mais de 18.600 cães  considerados perigosos registados e apenas 300 dos portugueses têm formação obrigatória para terem estes animais. Em relação aos treinadores de cães deste tipo, apenas existem 8 pessoas em Portugal capazes de lidar com os mesmos.

De acordo com os dados da PSP, facultados à agência Lusa, este órgão de segurança formou 177 pessoas para poderem ter cães perigosos e a GNR formou 126. Em 2013, foi introduzida a alteração na lei que obriga a que todos as pessoas que queiram ou tenham cães perigosos recebam formação específica.

Contudo, apesar de a GNR e a PSP serem os únicos órgãos que podem certificar treinadores de cães perigosos e dar formação a donos, os valores a pagar pela formação destes para adquirir as licenças apenas ficou definido o ano passado, sendo que este fator atrasou o processo formativo.

Este ano, a PSP já registou 670 contraordenações e a GNR 193 por não cumprimento desta legislação, como por exemplo a falta de açaimo/trela/peitoral ou a falta de documentos relativos a seguro e vacinação.

Cães considerados perigosos são aqueles que tenham histórico de violência ou que sejam potencialmente violentos, devido às suas características físicas. A lista dos cães perigosos inclui rottweilers, cão argentino, o cão de fila brasileiro, o pit bull terrier, o staffordshire terrier americano, o staffordshire bull terrier e o tosa inu.