Vida

Lindsay Lohan. “Acho que as mulheres que falam de assédios ficam a parecer fracas”

A atriz defende a inocência do realizador Harvey Weinstein

A atriz Lindsay Lohan revelou, este sábado, numa entrevista ao jornal britânico The Times, que acredita “que as mulheres que falam de assédios ficam a parecer fracas”. As declarações, que se referiam ao movimento #MeToo, acabaram por gerar controvérsia.

“Vou ficar a odiar-me por dizer isto, mas acho que as mulheres que falam de assédios ficam a parecer fracas quando são muito fortes”, justificando que “se algo acontece num momento, tens de discutir isso nesse momento. Fazes disso uma coisa real ao abrir um processo policial”.

Em causa está o caso que envolve o realizador Harvey Weinstein. "Realmente não tenho nada a dizer. Eu não posso falar sobre algo que não vivi, certo? Atenção, eu apoio muito as mulheres. Toda a gente passa pelas suas próprias experiências à sua maneira”, garantiu Lohan.

E acrescentou: “Existem muitas raparigas que vêm, que não se sabe quem são, e que fazem de tudo por atenção. Isso afasta-nos do que realmente é importante”.

A atriz foi uma das poucas que defendeu Harvey Weinstein quando começaram a surgir as acusações de assédio sexual. Num vídeo publicado no seu Instagram, Lohan afirmou sentir-se “muito mal pelo Harvey Weinstein, neste momento”. “Penso que não está certo o que se está a passar de momento. Ele nunca me magoou ou tentou fazer alguma coisa comigo. Já fizemos vários filmes juntos. Acho que todos têm de parar. Acho que estão errados!”