Desporto

Kepa entra no radar pela maior porta possível

De titular há ano e meio no "modesto" Athletic Bilbau a custar 80 milhões de euros ao Chelsea: é esta a história do novo guarda-redes - e jogador espanhol em absoluto - mais caro da história do futebol mundial

Três semanas. Foi este o tempo que durou o reinado de Alisson como guarda-redes mais caro da história do futebol mundial. Esta quarta-feira, os 62,5 milhões de euros pagos pelo Liverpool à Roma (mais dez variáveis) para assegurar os serviços do internacional brasileiro foram pulverizados pela oficialização do pagamento da cláusula de rescisão de Kepa Arrizabalaga com o Athletic Bilbau, cifrada em incríveis 80 milhões de euros.

O pagamento não foi diretamente efetuado pelo Chelsea, mas é garantido que serão os blues o destino do jovem de 23 anos, que conta uma internacionalização pela seleção principal de Espanha. Foram os representantes legais de Kepa a fazer o pagamento da cláusula junto da Liga espanhola, depois do clube basco ter recusado encetar quaisquer negociações com os londrinos, deixando bem claro desde o início que o guardião só poderia deixar Bilbau caso o Chelsea cobrisse integralmente o valor da cláusula rescisória.

E assim foi: o Chelsea abriu os cordões à bolsa e enviou um advogado para tratar das formalidades legais referentes ao depósito dos 80 milhões de euros nas contas dos bascos. Kepa não esteve presente nesse momento, bem como no treino matinal do Athletic, pois já estava desde a tarde de terça-feira em trânsito para Londres, onde terá chegado na noite de ontem – o desejo do clube detido por Roman Abramovich era o de que o guarda-redes já estivesse presente no treino de hoje e que pudesse inclusivamente ser já opção para a primeira jornada da Premier League, no sábado, diante do Huddersfield.

Há cinco meses era para sempre... Kepa, que irá assinar por cinco temporadas com o Chelsea, passa assim a ser o guarda-redes mais caro da história do futebol mundial. Mas também o espanhol mais caro de sempre: até aqui, era Morata a deter esse estatuto, com a transferência na época passada do Real Madrid para... o Chelsea cifrada nos 66 milhões de euros.

Curiosamente, Kepa – titular há apenas ano e meio no Athletic Bilbau, depois de empréstimos a Baskonia, Ponferradina e Valladolid – tinha renovado ainda em janeiro pelo clube basco, numa altura em que era noticiado com insistência o interesse do Real Madrid. “Disseram-se muitas coisas, mas a única coisa que quero é ficar no Athletic por muito tempo”, dizia o guardião a 23 de janeiro após renovar até 2025. Na altura, a cláusula de rescisão passou de “míseros” 20 milhões para incríveis 80 – um valor que o Bilbau acreditava ser suficiente para afastar potenciais interessados durante muito tempo. Não foi o que aconteceu.

Courtois segue para Madrid Campeão europeu de sub-19 em 2012, perante uma França que contava com Pogba, Umtiti ou Kondogbia, Kepa chega ao Chelsea para substituir Courtois e assumir de imediato a titularidade. O belga, por seu lado, foi oficializado ao início da noite pelo Real Madrid, com quem se vinculou para as próximas seis temporadas, e será apresentado ao início da tarde de hoje.

Courtois não se apresentou nos trabalhos da equipa inglesa no fim do período de férias, após a honrosa participação no Mundial da Rússia (a Bélgica terminou em terceiro, a melhor classificação de sempre), tendo por diversas vezes referido já o desejo de regressar a Madrid, onde vive a família. O guarda-redes de 26 anos, recorde-se, jogou três temporadas no Atlético de Madrid por empréstimo do Chelsea, entre 2011 e 2014. Segundo referem várias publicações da imprensa desportiva mundial, a transferência deverá ficar fechada por 40 milhões de euros – um valor influenciado pelo facto de o contrato de Courtois com o Chelsea terminar no fim desta temporada.

O Real Madrid encontra assim um concorrente de muito peso para Keylor Navas, titular absoluto da baliza dos blancos nas últimas três temporadas. Nesse período, o costarriquenho de 31 anos foi peça essencial na conquista de três Ligas dos Campeões, uma Liga espanhola, uma Supertaça de Espanha, uma Supertaça europeia e dois Mundiais de clubes. Agora, todavia, deverá ser relegado para um papel secundário.