Costa diz que não desvalorizou a gravidade do incêndio em Monchique

António Costa considera que as suas declarações "foram descontextualizadas e deturpadas"

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que não desvalorizou a gravidade do incêndio que lavra em Monchique desde sexta-feira.

"O primeiro-ministro não só não procurou desdramatizar ou desvalorizar a gravidade da situação em Monchique como disse, pelo contrário, que a situação era alarmante e ia agravar-se", refere uma nota do gabinete do primeiro-ministro.

António Costa considera que as suas declarações "foram descontextualizadas e deturpadas". 

Costa diz que é falso que as suas palavras "tenham sido para elogiar as políticas de prevenção promovidas pelo Governo". O primeiro-ministro "elogiou, sim, todos os portugueses, pelo esforço de limpeza feito ao longo do ano e pela contenção de comportamentos de risco". 

Recorde-se que, na conferência de imprensa de ontem, o primeiro-ministro explicou que, nos cinco dias mais críticos, foram registadas 582 ignições, 26 das quais deram origem a incêndios. Desses, apenas o de Monchique tomou grandes dimensões, o que, para Costa, mostra que este incêndio "é uma exeção que confirma a regra do que aconteceu no conjunto do país".