Sociedade

26 doentes em isolamento por bactéria multirresistente no hospital de Penafiel

O hospital garante que "não há razão para nenhum alarme"

No Hospital Padre Américo, em Penafiel, estão 26 doentes em isolamento por serem portadores de uma bactéria multirresistente chamada ‘klebsiella pneumoniae carbapenemase’ (KPC).

“De momento não há razão para nenhum alarme e todas as medidas estão a ser tomadas de acordo com recomendações”, diz o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS), do qual o hospital Padre Américo faz parte.

A deteção da bactéria “não é recente”, no entanto “o número de casos” tornou “necessário tomar mais medidas”. A maioria dos doentes não têm sintomas da bactéria, “só uma minoria é infetada e, nesses, a infeção em si não é mais grave. Torna-se é mais difícil de tratar por termos menos opções terapêuticas (antibióticas) disponíveis”, explica o Conselho da Administração do CHTS que garante ainda não haver profissionais afetados.

A origem da bactéria “é difícil encontrar” porque são bactérias que “estão em circulação na comunidade”. No entanto, e seguindo as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) para a “restrição dos contactos”. Por isso, os pacientes “têm períodos mais curtos de visita (30 minutos de manhã e 30 minutos de tarde), para reduzir o número de visitas nas enfermarias em causa”.

"As pessoas internadas em ambiente hospitalar estão doentes e, por isso, em risco. O risco é maior quando existe resistência a antibióticos, mas de momento não há razão para nenhum alarme", acrescentam