Sociedade

Hospital de Viseu está em situação de rutura, denuncia Sindicato dos Médicos

Em média, um paciente com pulseira amarela, a segunda menos grave da escala, pode ter de esperar mais de cinco horas para ser atendido

O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) denuncia a situação de rutura que se vive nas urgências do Hospital de Viseu. Há pacientes com pulseira amarela que esperam mais de cinco horas para serem atendidos.

À SIC, Noel Carrilho, presidente do SMZC, afirma que “as equipas têm estado completas, não é que sejam equipas pequenas mas revelam-se insuficientes para estas alturas. Para uma afluência normal já está nos limite da suficiência, para esta alturas revela-se insuficiente”.

Com a feira de São Mateus, um dos grades eventos da cidade que atrai milhares de turistas, o hospital não tem capacidade para responder à procura. “Os doentes têm que aguardar para serem transportados para uma maca, para um exame, depois tem de aguardar pelo técnico de exames complementares”, acrescenta Carrilho.

Os principais afetados sãos os pacientes menos urgentes, ou seja as pulseiras amarelas e verdes.

AS instalações do Hospital já espera uma intervenção há vários anos. “É uma promessa há algum tempo, a ver se é para breve que essa modificação [acontece]”, acrescenta o presidente do sindicato que considera “indigno” o espaço atual para receber os doentes.

Segundo dados do Centro Hospitalar, as urgências do Hospital de Viseu chega a receber cerca de 500 pacientes por dia, mas a administração acredita que a situação deverá voltar ao normal nos próximos dias.