Sociedade

Presidente da Câmara de Beja revoltado com CP

Após a avaria de um comboio na linha do Alentejo, o presidente da autarquia de Beja quer saber quais são as soluções da CP

No último fim de semana, um comboio avariou perto da estação de Casa Branca, na linha do Alentejo, deixando vários passageiros expostos a uma temperatura elevada, dentro das carruagens com ar condicionado avariado. Perante a situação, o presidente da Câmara Municipal de Beja (CMB), Paulo Arsénio, arrasou a empresa, numa publicação no seu Facebook. «O que se passou ontem ultrapassou todos os limites» lê-se, no texto.

Paulo Arsénio agradeceu aos Bombeiros Voluntário de Alvito e à GNR, mas critica o comportamento da empresa: «A vergonha da CP».

Contactado, o autarca explicou ao SOL que vai reunir com o presidente da CP, para falarem sobre o futuro da empresa na linha do Alentejo. O encontro ainda não tem data marcada, mas está previsto acontecer depois do dia 20 de agosto.

Paulo Arsérnio afirma que a linha do Alentejo - que serve a região de Beja -, há muitos anos, «não tem tido investimento», o que faz com que seja uma «linha é muito necessitária».

Um dos principais problemas que o presidente da CMB critica é a circulação diária com «atrasos muito significativos». Mas existem outros, como a «eletrificação entre Casa Branca e Beja e a substituição do material circulante».

Paulo Arsénio diz ainda que após o acidente dos últimos dias «a CP como que desapareceu». Embora reconheça que as questões sejam «demorosas», quer que os cidadãos de Beja e as pessoas que viajam para a cidade «também tenham uma circulação digna».