Sociedade

Calor intenso vai repetir-se nos próximos anos

Dois climatólogos concluíram que 2018 é apenas o início de período com muito calo

A onda de calor que se sentiu este verão pode deixar de ser estranha. Segundo uma estimativa feita por dois climatólogos europeus – Florian Sévellec do centro nacional de investigação científica de França (CNRS) e Sybren Drijfhout da Universidade de Southampton e do Instituto de Meteorologia da Holanda – o período que se estende até 2022 vai ser anormalmente quente.

O método estatístico desenvolvido por Sévellec e Drijfhout tem como objetivo fazer uma estimativa da temperatura global da superfície assim como dos oceanos. E pelas contas feitas, os próximos quatro anos vão ser “mais quentes do que o normal”.

E a subida de temperaturas “vai reforçar também a tendência de longo prazo do aquecimento do planeta”, pode ler-se no artigo que publicaram esta terça-feira na revista científica Nature Communications.

Para além das altas temperaturas Sévellec e Drijfhout concluíram que haverá uma probabilidade baixa de existirem episódios de frio intenso.

As previsões feitas pelos dois climatólogos utilizaram um método estatístico para encontrar situações semelhantes às atuais que tenham ocorrido nos séculos XX e XXI para concluir como serão os próximos anos.

Este método utiliza um algoritmo que faz as estimativas em segundos, ao contrário dos simuladores climatéricos em que é preciso uma semana para atingir os resultados.