Confissões de verão

Margarida Balseiro Lopes. "‘O descaramento de António Costa é assinalável"

A líder da JSD procura ser sempre a mesma, quer esteja de férias ou não, e não deixa o telemóvel para trás nem dispensa a tarte de atum da mãe

Nas férias vai continuar a utilizar as redes sociais e a usar a internet?

Atendendo ao facto de ter entrado hoje de férias e estar a responder a estas perguntas, provavelmente estarei ligada o tempo todo.

Qual o seu maior vício em férias?

Estar sempre a pensar naquilo que tenho para fazer quando as férias terminarem...

Qual a sua maior virtude?

Dormir pouco dá muito jeito. 

Fecha a torneira quando lava os dentes?

Claro.

Em férias faz reciclagem do lixo?

Sim. Até porque procuro ser sempre a mesma Margarida o ano todo, estando de férias ou não. 

Com quem não se quer cruzar de todo?

Talvez com os meus colegas deputados, uma vez que já estamos juntos o ano todo...

Qual o seu acessório imprescindível?

O telemóvel.

Qual foi a última coisa que comprou por mil euros?

Provavelmente foi alguma coisa para a minha campanha interna da JSD.

Em férias é tempo de farra ou de descansar?

Temos de descansar para também conseguirmos ter tempo de farra. 

Vai a museus? Qual foi o último que visitou?

Sim. A última exposição que vi foi no Centro Português de Fotografia no Porto sobre Frida Kahlo e valeu bem a pena (está em exibição até 4 de novembro).

Que livros pensa conseguir ler em férias?

Tenho vários em lista de espera. Para já, estou a acabar o livro Política em Tempos de Indignação, do Daniel Innerarity, e já comecei a ler o Mau Tempo no Canal, do Vitorino Nemésio.

Em que hotel mais gostou de estar em Portugal e no estrangeiro?

Melhor hotel de sempre foi mesmo a casa do meu irmão, quando o fui visitar a Moçambique. Ficou de borla e a comida era extraordinária: excelente relação qualidade/preço.

Qual o seu restaurante preferido?

Tenho vários restaurantes preferidos, mas a melhor iguaria de todas é a tarte de atum da minha mãe (alguns amigos e companheiros da JSD podem confirmá-lo). 

Convida o homem da sua vida para jantar. Que sobremesa prepara?

Tratando-se do homem da minha vida não arrisco a preparar a sobremesa, pois pode correr mal. Vou comprar fora.

Esqueceram-se de cobrar as sobremesas do seu almoço. Cala-se ou avisa o empregado?

Aviso sempre.

Já roubou? O quê?

Roubo anos de vida aos meus pais sempre que ando em viagem de carro de um lado para o outro em iniciativas da JSD.

Rádio ou smartphone?

Muita rádio oiço eu nas viagens de carro. 

Que músicas vai levar consigo?

Buena Vista Social Club. 

Compra jornais e revistas? Quais?

É possível nesta entrevista responder outro jornal para além do SOL?

Tem algum hobby?

Tenho vários, falta-me é tempo... Ler e viajar, por exemplo. 

Que talento pagaria para ter?

Não é uma qualidade mas o descaramento de António Costa é assinalável.

Qual o político que mais admira ou admirou?

Tenho várias referências políticas. Uma delas é atualmente Presidente da República e outra foi primeiro-ministro entre 2011 e 2015. 

Há pessoas insubornáveis ou todos temos um preço?

Todas as pessoas têm valor, mas nem todas estão à venda...

Toma comprimidos para dormir?

Não. Deito bem a cabeça na almofada.