Desporto

Bruno de Carvalho. "Não houve nem podia haver qualquer ato de expulsão"

Em atualização

Bruno de Carvalho reagiu esta sexta-feira às declarações de Artur Torres Pereira, presidente da Comissão de Gestão do Sporting dizendo que houve um “desrespeito” do despacho judicial e que “não houve nem podia haver qualquer ato de expulsa”.

"No registo comercial do Sporting pode verificar-se no que a 13 de agosto foi registada a impugnação da deliberação da Assembleia Geral de dia 23 e foi feita mediante despacho judicial. Significa que desde dia 1 de agosto os agentes ou as gentes de Marta Soares não podem ignorar que todos os atos são nulos ou inexistentes, por práticas contra a letra expressa da lei. Solicitou-se ao comissário da policia que identificasse as pessoas em causa. Não houve nem poderia haver qualquer ato de expulsão, fomos nós que pedimos a presença da polícia na véspera e que pedimos que identificassem as pessoas que pedimos para identificar quem nos impedia de retomar o trabalho. É lógico que ainda sou presidente do clube e da SAD", disse o ex-presidente leonino.

BdC acusou ainda a comissão de ter proferido “demenciais disparates” com “grotesca solenidade em conferência de imprensa” apelidando estes atos de “uma exibição deplorável de mentira primária e são um insulto à inteligência do homem médio”.