Economia

Reações à morte de Pedro Queiroz Pereira

O empresário morreu aos 69 anos

Em nota enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a administração da Semapa expressou o “mais profundo pesar” e salientou que “Pedro Queiroz Pereira foi uma referência no meio Industrial português, dotado de raras qualidades humanas e profissionais, e de um notável espírito empresarial com que promoveu a refundação do Grupo Económico de que esta sociedade faz parte”. Na nota, pode ainda ler-se que “mais do que um património, Pedro Queiroz Pereira deixa força e deixa valores. Força numa estrutura empresarial robusta e com uma liderança profissional organizada e empenhada em continuar o caminho em curso, mas principalmente valores como a Coragem, Independência, Frontalidade e Honestidade, com que sempre geriu as suas empresas e que deixa como legado a todos os mais de 6000 colaboradores da Semapa e das suas participadas Navigator, Secil e ETSA”.

Também Marcelo Rebelo de Sousa recordou o “grande industrial” e lamentou “ a morte prematura”. 

José Maria Ricciardi relembra que falar de Pedro Queiroz Pereira é falar de um “homem criador de riqueza e de emprego” e um “amante de desporto”. “Queremos hoje saudar um homem criador de riqueza e de emprego, um amante do desporto, um homem atento à nossa comunidade”. Ricciardi aproveitou ainda para lembrar o “grande adepto de ‘fair-play’” e “homém sério, um grande empresário português”.  

João Soares, que foi secretário de Estado das Florestas, sublinha: “Desde a primeira vez que falámos, em 2004, fui descobrindo nele um homem jovial e generoso que escolhia os seus amigos e que não gostava de perdoar traições e infidelidades.”
João Soares recorda ainda que PQP era um homem de convicções fortes. “Não fugia a lutas, embora procurasse a discrição e o recato público. Meses após a aquisição da Torralta pelo grupo SONAE teve lugar uma reunião em Tróia a que assisti, com a presença de muitos convidados importantes. A certa altura, o Eng. Belmiro de Azevedo, sempre truculento, virou-se para PQP e disse-lhe: ‘Tudo isto podia ser mais fácil se você tirasse dali aquele mamarracho’, referindo-se à presença da Secil na paisagem. PQP ficou vermelho e retorquiu de pronto: ‘Pode ser um mamarracho, mas se não fosse a presença dele ali, talvez você não tivesse comprado isto (Tróia) tão barato!’ A sala riu. Belmiro sorriu e não respondeu.”

Jorge Bleck, advogado e amigo de Pedro Queiroz Pereira, diz que só uma coisa o entusiasma.