Cultura

Líder do movimento #MeToo acusada de assédio sexual

A realizadora e atriz Asia Argento foi uma das primeiras mulheres a acusar Harvey Weinstein, tornando-se uma das líderes do movimento

A italiana Asia Argento é uma das dezenas de mulheres que apresentou queixa contra Harvey Weinstein e uma das principais vozes e líder do movimento #MeToo. Porém, esta segunda-feira uma notícia avançada pelo The New York Times revela que a mesma esteve envolvida num caso de assédio sexual a um menor

Argento está agora na mira por supostamente ter realizado um acordo com o Jimmy Bennet, no valor de 380 mil dólares para que este não avançasse com uma acusação de assédio sexual. A situação terá acontecido quando o músico era ainda menor de idade.

Bennet afirma que Asia Argento o assediou quando este tinha apenas 17, dois meses depois do seu aniversário, num quarto de hotel no estado da Califórnia. Este caso não foi levado a tribunal, mantendo-se o acordo entre os advogados de cada um. A atriz e realizadora tinha 37 anos na altura.

O The New York Times teve acesso a um email que remetia ao dia 9 de maio de 2013 onde se falava da existência de uma foto de os dois deitados numa cama e, como parte do acordo, esta foi cedida a Asia Argento que tem agora direitos sobre ela.

O jornal norte-ameicano tentou contactar a atriz e realizadora italiana, mas não obteve resposta. Também Jimmy Bennet recusou prestar declarações sobre o caso ao jornal.