Desporto

Corrida a dois e quase um a menos

Primeira sondagem dá favoritismo a Frederico Varandas e João Benedito nas eleições do Sporting. Já Bruno de Carvalho pode vir a ser expulso de sócio.

A duas semanas do ato eleitoral que ditará o nome do presidente do Sporting nos próximos quatro anos, a primeira sondagem restringiu a corrida a dois favoritos ao lugar: Frederico Varandas e João Benedito. Segundo o estudo feito pela Intercampus nas imediações do Estádio José Alvalade, num total de 615 entrevistas, o ex-diretor clínico dos leões lidera com 35,4 por cento, contra 28,4 por cento do antigo guarda-redes de futsal. José Maria Ricciardi, que partia com grandes ambições, recolhe apenas 5,3 por cento; Dias Ferreira (2,8), Pedro Madeira Rodrigues (1,3), Fernando Tavares Pereira (0,9) e Rui Jorge Rego (0,3) completam o lote.

A amostra da sondagem, como é fácil de compreender, não é significativa, dado o universo de votantes do Sporting - em março, o jornal espanhol Mundo Deportivo atribuía 160 mil associados aos leões, com Bruno de Carvalho a garantir poucas semanas depois que o número já tinha ascendido aos 170 mil. Ainda assim, da mesma é possível retirar algumas conclusões: a principal será a de que o público mais novo se inclina para João Benedito, com Frederico Varandas a contar com a preferência dos associados entre os 35 e os 44 anos - que possuem oito, nove ou mesmo dez votos, o que pode fazer a diferença nas contas finais, inclusive com benefício de Ricciardi, que possui no eleitorado mais velho um número considerável de apoiantes.

Muitos são os exemplos disso na história recente do Sporting. Verificou-se esse cenário na Assembleia-Geral (AG) de 23 de junho, que ditou a destituição de Bruno de Carvalho, mas também nas eleições de 2011. Aí, naquele que tinha sido até agora o ato eleitoral com mais candidatos da história do clube (cinco), Bruno de Carvalho liderou as sondagens até ao fim, embora com uma margem mínima sobre Godinho Lopes, e foi este que acabou por vencer o sufrágio por uma margem de apenas 400 votos, supostamente provenientes dos associados mais velhos.

Os debates entre os candidatos irão continuar nos próximos dias nos vários canais televisivos - inclusive na véspera das eleições - e ainda haverá outra sondagem a ser divulgada até lá. As discussões até agora, todavia, têm-se pautado mais por ataques pessoais e tentativas de diminuir as campanhas adversárias do que propriamente abordar o futuro do clube. Um cenário inesperado e que abona pouco a favor dos candidatos, mas sobretudo das necessidades futuras do clube.

 

Bruno arrisca expulsão

Definitivamente fora do sufrágio de 8 de setembro parece estar Bruno de Carvalho. Mas não só: o presidente destituído na AG de junho arrisca mesmo a expulsão de sócio do Sporting. Após reunião na última quinta-feira, a Comissão de Fiscalização (CF) dos leões determinou nova suspensão preventiva da condição de associado de Bruno de Carvalho, Luís Gestas e Alexandre Godinho e enviou uma nota de culpa a todos os membros do anterior Conselho Diretivo.

Na missiva, a CF tece várias acusações ao executivo liderado por Bruno de Carvalho, entre os quais a tentativa, junto dos bancos, de congelar as contas do clube e a de tentar regressar à presidência munido de uma providência cautelar considerada «uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma» pela Comissão de Gestão. O ex-presidente leonino tem dez dias para responder à nota de culpa.