Internacional

Francisco reúne com vítimas

O Papa não fará comentários sobre os encontros, mas o tema da pedofilia será abordado domingo, no voo de regresso a Itália

Depois de, na segunda-feira, o Papa ter divulgado uma carta em que pede perdão pelos abusos sexuais cometidos por membros da Igreja no estado americano da Pensilvânia, o Vaticano anunciou que Francisco irá encontrar-se, este fim de semana, com vítimas irlandesas. O porta-voz do sumo pontífice, Greg Burke, avisou, no entanto, que o Papa não fará comentários sobre os encontros, cabendo às vítimas decidirem se pretendem pronunciar-se publicamente sobre a conversa que manterão com Francisco.

Ainda assim, todas as atenções mediáticas vão estar viradas para estes encontros, que acontecem num país onde a fé católica já teve melhores dias - a Irlanda despenalizou o aborto este ano e o número de fiéis tem vindo a diminuir - e que há nove anos se viu a braços com um mega escândalo de pedofilia, com as autoridades eclesiásticas debaixo de fogo por terem encoberto abusos a crianças da região de Dublin durante décadas.

Em 2010, surgiu outro escândalo na Alemanha e o então Papa Bento XVI publicou uma carta endereçada aos católicos irlandeses, ao mesmo tempo que ordenou uma visita apostólica a todas as dioceses do país. Nesse ano, regressado da visita a Portugal, Ratzinger pronunciava, aliás, uma frase que haveria de tornar-se histórica: «A maior perseguição da Igreja não vem dos inimigos de fora, mas nasce do pecado da Igreja». Nos dois anos seguintes, 260 padres foram afastados - a pedido dos próprios ou obrigados pela Santa Sé - por abusos sexuais de menores e violência sexual.

O tema da pedofilia será garantidamente abordado no domingo ao final do dia, no avião que transportará Francisco da Irlanda até Roma, uma vez que no regresso das viagens, o Papa dá uma conferência de imprensa aos jornalistas que o acompanham. Antes disso, há uma agenda oficial para cumprir: Francisco aterra hoje no aeroporto internacional de Dublin, pelas 10h30 e, logo a seguir, faz uma visita de cortesia ao presidente Michael Higgins, que durará cerca de meia hora.

Pouco depois do meio-dia, encontra-se com o corpo diplomático presente no país, representantes das autoridades irlandesas e da sociedade civil. E, de tarde, visita um centro de apoio a sem-abrigo. Mais tarde, ao início da noite, preside ao encerramento do Encontro Mundial das Famílias.

Já a agenda de amanhã, domingo, inclui uma missa no Phoenix Park, pelas 15 horas, e o habitual encontro com membros do episcopado católico, que decorrerá no Convento das Irmãs Dominicanas, em Dublin. Quanto ao regresso a Roma, está marcado para as 18h45.