Economia

Tem coisas que já não usa e não sabe o que fazer com elas?

Fique com algumas sugestões da DECO que ajudam a fazer algum dinheiro

Várias pessoas utilizam a internet para venderem roupas ou móveis que já não precisam e estão apenas a ocupar espaço em casa. Há quem, no entanto, opte por fazer uma venda de garagem, à maneira antiga. Para além de ser uma boa oportunidade de limpeza é, também, uma boa oportunidade de ganhar algum dinheiro.

A DECO deixa algumas dicas para vender o que não precisa em segurança.

De acordo com a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO), "a internet é só um dos canais disponíveis para estas transações, à qual se juntam as vendas de garagem ou em mercados e feiras".

Relativamente ao preço dos artigos, a DECO aconselha a que “estabeleça valores um pouco superiores”, para que possa “ter uma margem de negociação mais favorável”.

Para quem prefere utilizar a internet, a DECO aconselha ao uso de sites de confiança onde “é possível fazer bons negócios com artigos usados”, como por exemplo, o OLX e o Custo Justo. Quando feita a compra, “é aconselhável fazer a troca num espaço público e pessoalmente, para obter o pagamento imediato e permitir que quem compra verifique o estado da peça”.

Para quem prefere fazer vendas de rua ou de garagem, a DECO explica que, “para garantir o sucesso, avise os amigos e conhecidos da sua iniciativa. Disponha os objetos que pretende vender segundo a melhor lógica (tipo, cor ou modelo, por exemplo) ". A associação acrescenta ainda que é preciso “ter uma licença. Esta é emitida pela Câmara Municipal e obtida numa loja de atendimento municipal”.

A DECO deixa também um alerta para os consumidores: os  “preços demasiado baixos podem ser indício de que os artigos foram roubados”, e acrescenta que esta prática é punível com e até 6 meses de prisão ou multa até 120 dias.