Sociedade

Marcelo diz que causas do acidente com cinco militares da GNR em Mourão estão a ser apuradas

Cinco militares, pertencentes à brigada helitransportada do Grupo de Intervenção e Socorro (GIPS), da GNR, ficaram feridos, na segunda-feira, na sequência de um incêndio em Mourão

Marcelo Rebelo de Sousa falou esta terça-feira acerca dos cinco militares que ficaram ontem feridos na sequência de um incêndio, em Mourão, depois do ministério da Administração Interna pedir a abertura de um inquérito ao acidente.

Aos jornalistas, à margem da sua visita à Praia das Rocas, em Castanheira de Pêra, o Presidente da República afirmou que os feridos de maior gravidade "estão em centros muito competentes para o tratamento de queimados".

"A própria deslocação do ar provocada pela partida do helicóptero poderá ter tido alguma influência", disse Marcelo Rebelo de Sousa quando questionado acerca das causas do acidente. Contudo, o Presidente garantiu que as circunstâncias do acidente estão a ser apuradas e que o mais importante é o tratamento dos feridos.

Recorde-se que cinco militares, pertencentes à brigada helitransportada do Grupo de Intervenção e Socorro (GIPS), da GNR, ficaram feridos, na segunda-feira, na sequência de um incêndio em Mourão, distrito de Évora. Três deles estão em estado grave.