Sociedade

Mais de 730 pessoas assinam petição contra fraudes de Pedrógão

A iniciativa pretende levar os deputados a avançar com uma investigação para identificar os responsáveis pela má gestão dos fundos

A petição contra as alegadas fraudes de Pedrógão já reúne mais de 730 pessoas. Com o título “Petição contra a fraude nos apoios a Pedrógão Grande”, a iniciativa é encabeçada por Luís Miguel Figueiredo e está associada ao movimento Democracia 21.

"Os peticionários consideram profundamente repugnante o aproveitamento fraudulento, abusivo e corrupto dos donativos e dinheiros públicos destinados a apoiar as vítimas da tragédia de Pedrógão Grande", no distrito de Leiria, salientando que "os factos noticiados recentemente deram origem à abertura de inquéritos pelo Ministério Público", pode ler-se na petição.

Os subscritores defendem que deputados da Assembleia da República "não podem permanecer em silêncio perante as suspeitas de tão vil violação da lei, abusando da solidariedade dos portugueses e desonrando a tragédia humana".

Com esta petição, os assinantes pretendem que os parlamentares, "sem demoras, procedam à abertura de um inquérito parlamentar exaustivo e público para apurar responsáveis políticos e legais pelo uso fraudulento dos apoios à reconstrução das casas ardidas nos incêndios de Pedrógão Grande e para exortar à aplicação de penas exemplares a todos os que se revelem legalmente implicados e retiradas consequências políticas" para os responsáveis pela fraude.

Miguel Figueiredo, Sofia Afonso Ferreira (líder do movimento Democracia 21 e segunda signatária da petição) e Diana Antão garantem que esta iniciativa “é apartidária, é pelas vítimas de Pedrógão Grande e de outras zonas afetadas” pelos incêndios do ano passado.

Para além da petição, está agendada a realização de duas manifestações – uma no Porto e outra em Lisboa – para o dia 19 de setembro “para recolher assinaturas”. A de Lisboa acontece em frente à Assembleia da República e a do Porto na Avenida dos Aliados, ambas pelas 11h30.

Nos últimos meses as reportagens da Visão e da TVI denunciaram situações de fraude na utilização dos fundos de reconstrução das habitações afetadas pelo incêndio de Pedrógão.