Vida

Novo jogo viral leva dois jovens a cometer suicídio

O jogo consiste numa série de desafios de autoflagelo, sendo o último o suicídio

DR  

Há um novo desafio que incentiva os jovens a suicidar-se. No Estado de Barbosa, na Colômbia, dois jovens morreram em apenas 48 horas e há suspeitas que as mortes estejam relacionadas com o jogo Momo.

Uma rapariga de 12 anos e um rapaz de 16 seriam participantes de um desafio viral que “encoraja os jovens a infligirem ferimentos neles próprios”, explica Janier Landono, membro do governo local, citada pelo “Telegraph”. “O jogo tem vários níveis e o último é o suicídio”, acrescenta. Até agora já foram identificados três casos relacionados com o desafio.

Segundo os meios locais, os dois menores conheciam-se, tendo sido o rapaz quem convidou a jovem a participar no jogo. A polícia apreendeu os telemóveis das vítimas, avança ainda o portal HSB.

A primeira vítima conhecida deste jogo foi uma rapariga argentina, de 12 anos, que acabou por se suicidar. Em Portugal não há nenhum caso reportado, mas a PSP já deixou um alerta nas redes sociais para os riscos deste novo desafio.

 

O jogo chama-se Momo, tem associado uma imagem de uma mulher de olhos esbugalhados – inspirada na escultura de uma mulher-pássaro que fez parte de uma exposição japonesa em 2016 – e usa a plataforma Whatsapp e o jogo Minecraft como meios de transmissão dos desafios.

Segundo a Unidade de Investigação de Delitos Informáticos do Estado de Tabasco, no México, os desafios terão começado num grupo do WhatsApp em que os participantes eram incentivados a trocar mensagens com um número desconhecido, identificado com a imagem da mulher-pássaro. Alguns utilizadores garantem que, depois de entrarem em contacto com o número, receberam imagens violentas e agressivas, chegando a haver relatos de quem tenha sido ameaçado.

Há quem compare este novo desafio ao jogo da Baleia Azul que provocou a morte a várias pessoas. Filipp Budeykin, um jovem russo de 21 anos, é o único rosto conhecido do desafio da Baleia Azul e está detido desde 15 de novembro de 2016 a aguardar julgamento. No caso do Momo, ainda não são conhecidos os autores do jogo.