Sociedade

Filha e genro matam professora dada como desaparecida no Montijo

A filha e o genro da professora encontrada morta esta quinta-feira no Montijo são suspeitos de drogarem e queimarem a mulher.

O corpo de Amélia Fialho que estava desaparecida no Montijo desde sábado à noite, uma professora, foi encontrado esta quinta-feira à noite, tendo havido detidos no âmbito da investigação levada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ), revelou fonte da PJ.

De acordo com informações partilhadas pela mesma fonte, o corpo foi encontrado no concelho do Montijo.

"Diligências realizadas por esta polícia, desde a passada quarta-feira, permitiram indiciar que, na realidade, os ora detidos, filha e genro da pessoa desaparecida, que com ela coabitavam, na sequência de inúmeras desavenças, delinearam um plano, executado conjuntamente, para lhe tirar a vida", refere o comunicado da polícia.

A filha da vítima tem 23 anos e o genro 27 e, de acordo com a investigação da PJ, foi possível apurar que no passado sábado, os suspeitos, "pela hora do jantar, usando fármacos, colocaram-na na impossibilidade de resistir, agrediram-na violentamente no crânio com um objeto contundente, colocaram-na na bagageira de uma viatura e transportaram-na para a zona de Pegões, onde, com recurso a um acelerante, lhe pegaram fogo", lê-se na mesma nota.

Segundo a PJ, o corpo foi encontrado "completamente carbonizado".

A mulher encontrava-se desaparecida desde sábado, dia 1 de setembro, tendo apenas o alerta sido dado a esta força de segurança na segunda-feira.