Desporto

Motociclismo. Miguel Oliveira é segundo no GP de São Marino

O piloto português mantém igualmente a vice-liderança do Mundial de Moto2

Miguel Oliveira terminou o Grande Prémio de São Marino em segundo, mantendo-se assim nessa mesma posição na classificação geral do Mundial de Moto2. O piloto português da KTM partiu do nono lugar e só não conseguiu ultrapassar o italiano Francesco Bagnaia, da Kalex, que somou o sexto triunfo da época e reforçou a liderança do campeonato: soma agora mais oito pontos que Oliveira (214 contra 206).

Num circuito onde nunca tinha pontuado, Miguel Oliveira concluiu a prova a 3,108 segundos de Bagnaia, que liderou do início ao fim e terminou com o tempo de 41.02,106 minutos. "Sabíamos que seria difícil bater o Paco [Francesco Bagnaia], mas tentei o meu melhor ao longo da corrida. O nosso ritmo estava parecido, ele talvez tenha estadi um pouco mais rápido por vezes. Custou-me nas primeiras voltas, mas consegui. Estamos no pódio e minimizámos os estragos. Ainda será um longo caminho, mas estamos na luta pelo campeonato e felizes por voltarmos ao sítio onde pertencemos", disse no fim da corrida o piloto natural de Almada.

Este foi o oitavo pódio da temporada para Miguel Oliveira - terceiro consecutivo, depois da vitória no GP da República Checa e do segundo lugar na Áustria -, que voltará a correr no dia 23 deste mês, no GP de Aragão, em Espanha (última corrida em solo europeu antes do périplo asiático).

A etapa em Misano acabou por ficar marcada pelo insólito comportamento do italiano Romano Fenati, da Marinelli Spiners Team, que foi desclassificado depois de tentar agarrar a manete de travão de Stefano Manzi (Suter) em plena reta da meta, quando ambos circulavam a mais de 200 km/h. O gesto surgiu em retaliação pelo toque que ocorreu entre os dois pilotos numa tentativa (frustrada) de ultrapassagem de Fenati algumas voltas antes, na curva 14. 

 

FIM MotoGP Stewards 📋

Black flag Romano Fenati for irresponsible riding 🏴#Moto2 #SanMarinoGP pic.twitter.com/sTqv6nhZer

— MotoGP™🇸🇲🏁 (@MotoGP) 9 de setembro de 2018

 

A Direção de Corrida mostrou imediatamente a bandeira negra a Fenati, mas o castigo vai mais longe: o italiano vai ficar de fora das duas próximas corridas do Mundial, em Aragão e na Tailândia. Ainda assim, a sanção é vista como "insuficiente" para alguns pilotos. "Fenati não deveria correr mais. Ele devia ter sido expulso pela sua equipa imediatamente assim que entrou na boxe", realçou Cal Crutchlow, que terminou a corrida de MotoGP em terceiro, com a anuência de Marc Márquez: “Vamos esperar que Fenati entenda que não deveria ter tido aquela atitude. O cérebro dele parou certamente." A equipa de Fenati emitiu entretanto um pedido de desculpas pelo "péssimo exemplo" do seu piloto, embora referindo a necessidade de "não tomar decisões a quente".

Refira-se ainda que Manzi também foi sancionado com seis posições na grelha de partida na próxima corrida, devido ao toque que deu em Fenati quando os dois pilotos lutavam pela 12.ª posição.