Internacional

Pedro Sánchez nega plágio da tese de doutoramento

O primeiro-ministro espanhol ameaça avançar com ações legais, se as informações não forem retificadas

Depois da polémica levantada pela demissão da ministra da Saúde espanhola, Carmen Montón, surgiram dúvidas sobre a veracidade da tese de doutoramento do primeiro-ministro Pedro Sánchez.

“É rotundamente falso”, afirmou esta manhã Pedro Sánchez através da rede social Twitter, em resposta às notícias publicadas nos vários órgãos de comunicação social. O primeiro-ministro espanhol ameaça avançar com ações legais em defesa da sua honra, “caso não haja rectificação da informação publicada”.

Na sequência das noticias que acusam Pedro Sánchez de plagiar a tese de doutoramento, a Universidad Camilo José Cela iniciou um processo de investigação preliminar e concluiu que, até ao momento, encontraram apenas 15% de correspondência com textos já existentes. Conforme avança o El Espanhol, esta percentagem é muito baixa para considerar que a tese intitulada “Inovações na Diplomacia Económica Espanhola: Análise do Setor Público (2000-2012)” seja considerada plágio.

Na passada quarta-feira, durante o debate no Congresso, o deputado Albert Rivera do partido Ciudadanos desafiou o primeiro-ministro espanhol a tornar pública a sua tese. “Não pode existir um ‘caso presidente do Governo’. Torne pública a sua tese de doutoramento para acabar com as dúvidas”. Em resposta, Sánchez disse que a sua tese é pública e pode ser consultada no Teseo, a base de dados de teses de doutoramento do Ministério da Educação. No entanto, o Teseo apenas disponibiliza a ficha técnica do documento, com as informações básicas e um resumo de apenas cinco linhas.