Desporto

“A verdadeira vítima foi Naomi Osaka”

A polémica tem dado que falar e as reações têm chegado de todas as partes

O comentador político Andrew Bolt utilizou o seu programa de discussão na Sky News para criticar fortemente Serena Williams e defender o árbitro português Carlos Ramos, depois da polémica na final do US Open, nos Estados Unidos.

Bolt começa por dizer que tudo o que se passou foi uma “birra” de Serena Williams e garante, de forma sarcástica, que o que aconteceu é a prova de como o “veneno desculpa as pessoas que se comportam de forma espantosa”, tudo devido “à política de identidade” que se vive hoje em dia.

A partir daqui, o comentador apresenta vários argumentos, sustentados por vídeos, para defender que “a verdadeira vítima era a oponente” de Serena, a japonesa Naomi Osaka, que venceu o duelo.

Do ponto de vista de Andrew Bolt a justificação para toda esta polémica deve-se ao facto de Serena Willliams querer apenas vencer.

Recorde-se que, inicialmente, a tenista norte-americana foi penalizada por receber indicações do treinador na bancada (Coaching), informação comprovada pelas imagens, mas também por declarações do próprio.

"Sou honesto, estava a fazer coaching. Mas ela não estava a olhar para mim, por isso é que achou que eu não estava a fazer”, afirmou o treinador Patrick Mouratoglou.

Mais tarde, a tenista norte-americana voltou a ser penalizada por partir uma raqueta e ainda por abuso de linguagem – ao chamar o árbitro de “ladrão e “mentiroso”. Serena Williams acusou mesmo Carlos Ramos de sexismo e exigiu um pedido de desculpas. Segundo Bolt, a tenista achou que estava a ser “uma heroína por falar de igualdade” quando na verdade, utilizou todos esses argumentos para “desculpar o próprio comportamento”.

Na opinião de Andrew Bolt, Williams “deixou a oponente em lágrimas, mas porque é mulher e porque é negra é uma vítima, quando a verdadeira vítima foi a oponente”.

O comentador mostra vários vídeos em que a norte-americana insultou outros oficias de prova e ainda vídeos que mostram tenistas penalizados por comportamentos parecidos ao de Williams, neste caso homens, como forma de justificar que não foi uma questão sexista.

Naomi Osaka chegou mesmo a pedir desculpa por ter vencido a prova, depois de ter sido vaiada pelo público.

Assim, Bolt pretende deixar claro uma vitimização de Serena Williams através de problemas que hoje em dia são constantemente referenciados, tal como o racismo e a falta de igualdade de género.

A polémica tem dado que falar e as reações têm chegado de todas as partes. Serena Williams continua sem se pronunciar. A tenista terá de pagar 14 mil euros à organização do US Open.

Veja o vídeo.