Internacional

"Acabar com os abusos sexuais não significa simplesmente seguir em frente, mas procurar uma cura"

Papa considerou que é “um drama” o panorama que está a ser vivido com as várias revelações de abusos, em vários países.

O papa Francisco defendeu que “não basta seguir em frente” e que é preciso procurar “uma cura” para as vítimas de abuso por membros do clero.

“Acabar com isto não significa simplesmente seguir em frente, mas procurar uma cura, reparação, tudo o que for necessário para curar feridas e restaurar a vida de tantas pessoas", afirmou o papa numa reunião privada, em Dublin, com jesuítas, divulgada esta quinta-feira na revista dos jesuítas Civilità Católica, citada pela Lusa.

Depois de ouvir oito vítimas de abuso sexual na Irlanda, o Papa considerou que é “um drama” o panorama que está a ser vivido com as várias revelações de abusos, em vários países.

Francisco disse ainda que para lutar contra estes abusos é preciso “denunciar os casos que conhecemos”.

Recorde-se que esta quarta-feira foi anunciado que o papa Francisco decidiu chamar a Roma, em fevereiro do próximo ano, os presidentes de todas conferências episcopais (organismos que congregam os bispos de cada país) para debater os casos de abusos sexuais de menores cometidos por membros da Igreja.