Sociedade

Taxistas em protesto na quarta-feira para impedir que lei da Uber entre em vigor

Os taxistas vão regressar às ruas de Lisboa para protestarem contra a lei que regula as plataformas eletrónicas de transportes como é o caso da Uber e da Cabify.

Trata-se do quarto grande protesto contra as plataformas que agregam motoristas em carros descaracterizados. Depois de muita polémica em vlta deste assunto, as plataformas eletrónicas de transporte viram a lei de regulamentação da sua atividade ser aprovada, a 12 de julho.

A legislação foi promulgada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no dia 31 de agosto e, estará em vigor já a partir do dia 1 de novembro. No entanto, os táxis marcaram uma manifestação com o objetivo de fazer com que esta lei não seja aplicada. “[Vamos] com objetivos bem definidos. Entendemos que a lei é desnecessária, injusta e que, a ser aplicada, põe em causa milhares de postos de trabalho”, disse à Lusa, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos.

As viaturas dos taxistas começarão a chegar pelas 05h00 à Praça dos Restauradores, em Lisboa, e seguem pela Avenida da Liberdade até à Avenida Fontes Pereira de Melo, a Avenida da República “e o que for preciso para os táxis pararem em protesto”, afirmou o presidente da Associação nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio de Almeida.

Já no Porto, a manifestação também foi marcada, e as viaturas concentram-se na Avenida dos Aliados a partir das 0600. Em Faro, o protesto está agendado para as 07h00 na Estrada Nacional 125-10, mesmo junto ao aeroporto.

Recorde-se que em Portugal operam três plataformas internacionais que ligam motoristas de veículos descaracterizados e utilizadores, através de uma aplicação online: a Uber, Cabify e Taxify.