Sociedade

Hospitais. Cerca de 20% dos médicos nas urgências têm idade para pedir dispensa

Médicos mantêm-se no ativo por "solidariedade" para com as equipas de profissionais


Cerca de 20% dos médicos nos serviços de urgências do setor público têm mais de 55 anos – uma idade que lhes permite pedir a dispensa integral do serviço. Mas, segundo o Jornal de Notícias, os profissionais mantêm-se no ativo por “solidariedade” para com os colegas de equipa e para dar uma resposta mais adequada às necessidades dos hospitais.

De acordo com os dados da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), citados pelo mesmo jornal, em junho de um total de 18.789 médicos que integram urgências, 2.549 têm mais de 55 anos – o correspondente a 19,93%. Os números revelam ainda que dos 2.549 médicos com idade para pedir a dispensa, apenas 1.637 a pediram.

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, sublinhou que muitos destes médicos aceitam continuar a fazer os turnos nas urgências para dar resposta às necessidades do hospital e dos pacientes: a maior parte “fá-lo por necessidade do hospital” e por “solidariedade perante as equipas”.

Miguel Guimarães explicou ainda que esta é uma “atividade de grande desgaste” e que conhece “centenas de médicos mais novos que se pudessem deixavam de fazer urgências já amanhã”.