Rua Sésamo

Afinal, Egas e Becas não são gays

"Rua Sésamo" divulgou um comunicado em que garante que os bonecos são só amigos, depois de criador do programa ter revelado que as personagens seriam um casal homossexual. 

Não são um casal homossexual, são só amigos. A organização não governamental que detém a marca "Rua Sésamo" esclareceu esta terça-feira que Egas e Becas não passam de bonecos sem orientação sexual, depois de terem vindo a público notícias, nos últimos dias, a dar conta de que as duas personagens da série televisiva seriam gays.

Um dos criadores do programa, o guionista Mark Saltzaman, deu uma entrevista à "Queerty" em que falou abertamente da sua sexualidade e da relação com o editor Arnold Glassman, que também trabalhou na "Rua Sésamo" e que faleceu em 2003. Saltzaman acabou por contar que Egas e Becas eram um casal inspirado na sua relação com Glassman. "Sempre senti que quando estava a escrever o Egas e o Becas eles eram homossexuais. Não tinha qualquer outra forma de os contextualizar. (...) Não acredito que saberia escrevê-los de outra forma que não como um casal amoroso", revelou. 

A notícia rapidamente correu os média do mundo inteiro, até porque há décadas que os fãs da "Rua Sésamo" debatiam a possibilidade de Egas e Becas - dois amigos que partilhavam o mesmo quarto - serem gays. Mas a "Rua Sésamo" garante que é falso que sejam um casal.  

"Como sempre dissemos, Egas e Becas são melhores amigos", lê-se num comunicado agora divulgado, que prossegue: "Foram criados para ensinar às crianças que as pessoas podem ser melhores amigas apesar de serem muito diferentes. Apesar de serem apresentados [ao público] como tendo características masculinas e humanas (tal como a maior parte dos bonecos da "Rua Sésamo"), não deixam de ser bonecos e não têm orientação sexual". 

Horas depois de ter divulgado o comunicado, a "Rua Sésamo" acrescentou que o programa "sempre foi pela inclusão e pela aceitação" e um "lugar onde pessoas de todas as culturas e contextos são bem-vindas".