Politica

Infarmed. “Um processo conduzido de forma pouco responsável”, diz Vital Moreira

Constitucionalista critica governo por suspender decisão de transferir Infarmed para o Porto

Vital Moreira lamenta que o governo tenha recuado na decisão de transferir o Infarmed para o Porto e considera que todo o processo foi gerido de forma “pouco responsável”.

“O lamentável episódio da "suspensão" (eufemismo para ‘cancelamento’) da transferência do Infarmed para o Porto não revela somente um processo iniciado e conduzido de forma pouco responsável. Mostra sobretudo que nenhum serviço público central, uma vez instalado em Lisboa - e quase todos estão lá! - pode depois ser mudado para outras paragens, por mais sentido que faça a deslocalização”, escreve, no blogue Causa Nossa, o constitucionalista.

O ex-eurodeputado do PS afirma que “há uma espécie de direito de propriedade absoluta, insuscetível de expropriação por justa causa. Pelos vistos, os funcionários de cada serviço têm um poder de veto incontornável e os ministros não desejam comprar a ira dos seus funcionários”.

A decisão foi anunciada pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, na sexta -feira, com o argumento de que o parlamento vai criar uma comissão para “acompanhar as decisões ou recomendações de descentralização" e “não fazia sentido extrair o Infarmed deste processo”.