Vida

Portuguesa investigada por organizar casamentos falsos

A mulher está a ser investigada pelas autoridades irlandesas que acreditam que terá trabalhdo com Resen Modeley

As autoridades irlandesas estão a investigar uma mulher portuguesa por suspeitas de ter organizado centenas de casamentos por conveniência.

A mulher acabou por fugir do país e, segundo o Departamento Nacional de Imigração, desde esse momento o número de pedidos de portuguesas que queriam casar na Irlanda diminui 96%, segundo o The Sun.

Mesmo depois de ter saído da Irlanda, a portuguesa continua a ser investigada pelas autoridades irlandesas, poderá mesmo ser condenada se for provado estar envolvida no esquema.  A polícia não avança quais os valores pedidos pela mulher por cada casamento, mas garante que ela fez “muito dinheiro”.

O mesmo jornal avança que a mulher trabalhava para Resen Modeley, conhecido por organizar casamento entre paquistaneses e portuguesas entre 2012 e 2015 e que foi deportado para as ilhas Maurícia, de onde é natural.

O homem criou um império e estima-se que tenha ganho 350 mil euros durante esses três anos de atividade. Modeley acabou por ser preso, tendo-se declarado culpado da organização de 50 casamentos. Condenado a cinco anos de prisão, acabou por cumprir 22 meses depois de ter aceitado ser deportado.