LifeStyle

Passar mais de duas horas em frente a um ecrã diminui inteligência das crianças

Capacidade de aprendizagem fica prejudicada

Um estudo, levado a cabo por investigadores canadianos, concluiu que há uma relação direta entre a utilização dos dispositivos eletrónicos e a inteligência das crianças.

Os investigadores acompanharam 4.520 crianças entre os 8 e 11 anos nos Estados Unidos, sendo que passavam uma média diária de 3,6 horas a olhar para um ecrã, fosse o do telemóvel, o do tablet, o do computador ou o da televisão.

A pesquisa pretendia avaliar quantas crianças cumpriam as recomendações de um plano canadiano de saúde infantil denominado Movimento 24 horas. De acordo com o plano, as crianças devem dormir entre nove a onze horas, fazer pelo menos uma hora de exercício e passar menos de duas horas frente a um ecrã.

Apenas uma em 20 crianças cumpre as três recomendações, sendo que perto de um terço não cumpre sequer qualquer uma.

As crianças foram alvo de testes cognitivos à linguagem, memória, reação, concentração. Os resultados demonstraram uma clara relação entre a capacidade de aprendizagem e a exposição dos dispositivos.

"Percebemos que mais de duas horas de tempo recreativo em frente a um ecrã resulta num pior desempenho cognitivo nas crianças", adiantou um dos investigadores responsáveis pelo estudo, citado pela agência France-Press.