Sociedade

Pai de Rosa Grilo acredita na inocência da filha: "Vou apoiar a minha filha sempre. Presa ou em casa"

"Não conheço nenhum casal tão amigo como era o Luís e a minha filha", garantiu Américo Pina

O pai de Rosa Grilo, a mulher suspeita de ter matado o marido Luís Grilo, diz que acredita na inocência da filha e que vai lutar sempre por ela.

"Não acredito que ela seja culpada. Não conheço nenhum casal tão amigo como era o Luís e a minha filha", afirmou Américo Pina ao Correio da Manhã.

O sogro do triatleta Luís Grilo, que terá sido assassinado pela mulher e um amante, disse que não conseguia falar com a filha desde que foi detida na passada quarta-feira. . "A Polícia Judiciária não me deixou falar com ela ao telefone. Nem a mim nem à minha outra filha".

Américo Pina esteve presente quando Rosa chegou ao tribunal, onde foi ouvida pela primeira vez na sexta-feira, e visivelmente emocionado garantiu: "Vou apoiar a minha filha sempre. Presa ou em casa".

O pai de Rosa Grilo admitiu que ouviu os insultos que populares proferiram à entrada do tribunal e conta que também gritou para dizer que apoiava a filha. “Rosa, o pai está aqui".

Américo Pina adiantou ainda que dias antes de Luís Grilo ter sido dado como desaparecido viu a filha e o marido a abraçarem-se e beijarem-se.

Recorde-se que foi aplicada a Rosa Grilo e a António Joaquim, o homem também suspeito do homicídio do triatleta e com quem a mulher teria um caso extraconjugal, receberam a medida de coação mais gravosa, ficando em prisão preventiva a aguardar julgamento.