Internacional

Coreia do Norte oferece dois cães à Coreia do Sul como prova de amizade

A oferta de cães é uma tradição que tem marcado as relações entre os dois países

Kim Jong-Un decidiu oferecer dois Pungsans – cães de caça coreanos – ao presidente sul-coreano Moon Jae-In como forma de reforçar as boas relações entre os dois países.

Songgang e Gomi foram levados para a zona desmilitarizada entre as coreias na passada quinta-feira.

A prenda, segundo a casa oficial do governo sul coreano (Blue House), foi sugerida por Kim e a mulher, Ri Sol Ju, durante o jantar em Pyongyang quando o Moo Jae-in visitou a parte norte da península.

A oferenda de cães tem sido um símbolo da cooperação entre as duas coreias. Em 2000 Kim Jong-Il ofereceu dois Pungsans – Uri e Duri – a Kim Dae-jung, que lhe retribuiu a prenda com dois Jindo dogs – Peace e Reunification. Os animais foram transferidos para o jardim zoológico de Seoul para que “todos os visitantes os pudessem adorar”, cita a Yonhap News Agency.

Songgang e Gomi irão viver na Blue House, juntamente como os restantes animais de Moon Jae-In, Tory e Jjing-Jjing – um cão e um gato resgatados – e os Meru, um Pungsan que faz parte da família do presidente sul coreano há muitos anos.

As relações entre Moon Jae-In e Kim Jong-Un têm vindo a melhorar desde a cimeira que juntou os dois países. Esta segunda-feira foi dado um novo passo no caminho da desmilitarização do terreno que une os dois países com uma operação conjunta que pretende retirar as minas terrestres dos terrenos fronteiriços.