Sociedade

'Quando +1 é = - 1'. Esta equação está errada mas pretende mudar os hábitos da sociedade

Estamos a falar de uma iniciativa que pretende sensibilizar os mais novos para o aumento do lixo no mar e nas praias.

O projeto vem da mão de Sónia Ell, que afirma que não se lembra que idade tinha quando ganhou consciência de que tinha de ajudar a salvar o Planeta, apenas sabe que foi desde muito cedo. Sónia acredita que qualquer pessoa, com pequenas mudanças de comportamento, podia também ajudar o Planeta.

Aos 45 anos, decidiu que queria sensibilizar os mais novos, uma vez que  “nem todos os adultos têm a capacidade de mudar os seus hábitos e porque o futuro deste Planeta é delas”.

Sónia criou o ‘Quando + 1 = -1’ - um projeto que tem como nome uma equação matemática errada, mas que pretende fazer o que é certo para o Planeta -, de forma a mudar os hábitos e a mentalidade da sociedade, nem que seja “de uma em cada 100 pessoas”.

E afinal, qual seria a melhor forma de isto acontecer? Através da escola. Sónia falou com biólogos, psicólogos, educadores de infância e outros mergulhadores, e tentou apresentar “um esboço do projeto” ao Ministério da Educação, apesar de ainda não ter obtido resposta até hoje, até que decidiu falar pessoalmente com professores de várias escolas, e finalmente recebeu alguns convites para partilha as suas histórias sobre o lixo marinho.


Facebook Sónia

“Quero mostrar, acima de tudo que os resíduos que resultam do nosso consumo, invariavelmente, acabam no mar, se não entrarem no circuito correto de reciclagem ou incineração, e que as consequências não serão ‘tão somente’ os ‘continentes’ de lixo que flutuam nos oceanos, ou o lixo acumulado nos fundos marinhos, mas a forma como ‘sorrateiramente’ regressam ao nosso prato, contou a joalheira em entrevista ao Notícias aos Minuto.

O projeto é em regime de voluntariado e é composto por duas etapas: uma primeira realiza-se no mar e consiste na apanha de lixo e recolha de imagens, a segunda acontece já em terra, e Sónia vai explicar o que vê, através da sua máscara de mergulho, às crianças que estiverem na ação e que terão entre 7 a 12 anos. O objetivo é envolvê-los “essencialmente, nas soluções ao alcance de cada um, através das fotos, jogos pedagógicos, exemplos práticos, ao longo da ação de sensibilização sobre o grande e infeliz tema do lixo marinho”.

Sónia pretende mostrar que as alterações de comportamento de consumo diários (per capita) fazem realmente diferença ao fim de um ano e passar a mensagem de modo a que "+1 pessoa mude alguns dos seus hábitos, e represente -1 a penalizar o planeta com os seus atos".