Sociedade

Hospitais vão passar a ter doentes internados nas suas próprias casas

O objetivo é evitar infeções hospitalares multirresistentes e baixar custos de internamento

O Ministério da Saúde vai promover uma estratégia para a hospitalização domiciliária, pelo menos 23 hospitais ou centros hospitalares vão aderir e querem o conceito a funcionar já no próximo ano.

A ideia é permitir às pessoas que necessitem de internamento, para recuperar de uma doença aguda, que o possam fazer em casa, continuando a receber cuidados hospitalares que receberiam se estivessem num estabelecimento do SNS.

O Ministério da Saúde vai hoje lançar uma estratégia para a hospitalização domiciliária e há pelo menos 23 hospitais ou centros hospitalares que vão assinar um compromisso para terem hospitalização domiciliária a funcionar durante o próximo ano, segundo informação fornecida à agência Lusa por fonte oficial do Ministério.

O conceito é uma prática recente em território nacional e apenas um hospital o desenvolveu em pleno, segundo a agência Lusa. O Hospital Garcia de Orta, em Almada, é pioneiro na hospitalização domiciliária em Portugal, embora este seja já um modelo usado em vários países.

As principais vantagens passam pela redução de infeções hospitalares multirresistentes e a diminuição dos custos de internamento.

Os hospitais receberam financiamento para implementação de unidades de hospitalização domiciliária, que vão funcionar 24 horas por dia e todos os 365 dias do ano, com apoio médico e de enfermagem em permanência e prevenção à noite. Esta alternativa ao internamento convencional obriga à concordância do doente e da família.