Sociedade

Um T1 por 2000 euros que deu origem a um filme | VÍDEO

Senhorios tentam justificar rendas exorbitantes por apartamentos minúsculos

O preço das rendas em Lisboa e no Porto é motivo de notícia todas as semanas, já todos os jornais compilaram os exemplos mais absurdos dos valores de arrendamento de quartos e de casas. Não faltam páginas do Facebook a provar isso mesmo. Mas João Sanchez, um estudante de cinema, foi mais longe e quis descobrir por que razão é tão difícil sair de casa dos pais e ser autónomo.

João Sanchez precisava de fazer um vídeo documental para uma disciplina da Escola Superior de Teatro e Cinema e o tema pareceu-lhe óbvio. “Ver o preço das casas aumentar e as expectativas de futuro a diminuir afeta-me como jovem e estudante que sou”, justificou o jovem de 20 anos ao P3.

O estudante decidiu assim ligar para os contactos telefónicos, que constavam em anúncios de arrendamento, para pedir uma justificação para os preços elevados.

Um T2 em Campo de Ourique a dois mil euros por mês é justificado pela sua localização central, um T0 de 29 m2 em Alfama a custar 850 euros “é normal e até há casas mais caras”, um apartamento com 46 m2 no Coração de Jesus tem uma renda de 1150 euros e “é assim por toda a Lisboa”.

As respostas do outro lado do telefone são quase sempre prontas, no entanto há também quem não consiga justificar que um T1 no Príncipe Real valha 2000 euros por mês. Mas para isso é preciso ver o vídeo até ao fim.

O filme de João Sanchez tem o selo do Pagárrenda, um colectivo independente de distribuição de curtas-metragens.