Sociedade

Partido de Santana Lopes pede demissão de Azeredo Lopes

O Aliança emitiu um comunicado onde defende o afastamento de Azeredo Lopes do Ministério da Defesa

O partido de Pedro Santana Lopes, “Aliança”, considera que Azeredo Lopes “não tem condições para continuar no cargo” depois das polémicas declarações do Major Vasco Brazão.

"O chefe do Governo e o Presidente da República, comandante Supremo das Forças Armadas, devem assumir a decisão que se impõe para defesa da imagem interna e externa das instituições do Estado e para bem de Portugal", pode ler-se num comunicado enviado às redações.

"Realidade incontestável – e independente do antes referido – é o reconhecimento da excessiva fragilidade política que a sucessão inconcebível de eventos do processo de Tancos, provocou no titular da pasta da Defesa Nacional", explica o partido acrescentando ser “óbvio que a salvaguarda mais elementar do respeito devido às Forças Armadas e a outras entidades relevantes do Estado, não permite outra conclusão que não seja a de que o ministro não tem condições para continuar no cargo".

Para o partido de Santana Lopes, os factos à volta do que se passou em Tancos, "cuja gravidade não pode ser silenciada e que respeitam ou envolvem instituições da Justiça, da Administração Interna e da Defesa Nacional, suscitam fundadas preocupações".

Recorde que a 25 de setembro a Polícia Judiciária deteve o diretor e outros três responsáveis da Polícia Judiciária Militar, assim como um civil e três elementos da GNR no âmbito da operação Húbris. Esta semana o major Vasco Brazão afirmou que o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, estava a par de tudo o que se passou em Tancos.