Internacional

China revela que está a investigar ex-presidente da Interpol por "subornos"

Pequim confirmou no último domingo a detenção de Meng Hongwei


A detenção do presidente da Interpol, Meng Hongwei, por alegada e “grave violação da legislação estatal” foi confirmada no último domingo. Agora, esta segunda-feira, Pequim afirmou que está a investigar o ex-presidente da Interpol por suspeitas de suborno.

De acordo com um comunicado divulgado no site do Ministério de Segurança Pública, citado pelo South China Morning Post, o governo chinês acusa Meng Hongwei de “receber e oferecer subornos”, bem como “violações” da lei chinesa e transgressões políticas.

Ontem, a Interpol anunciou a demissão de Meng Hongwei, através do Twitter: "hoje, domingo, 07 de outubro, o secretariado geral da Interpol em Lyon, em França, recebeu a demissão de Meng Hongwei, na qualidade de presidente da Interpol, com efeito imediato". 

O ex-presidente da Interpol estava desaparecido desde o dia 25 de setembro.