Economia

MAI e Agricultura são os únicos ministérios com cortes orçamentais

Entre os 16 ministérios do governo apenas duas tutelas vão sofrer um corte nas verbas disponíveis para 2019: o Ministério da Administração Interna (MAI) e o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

No caso do MAI, o ministro Eduardo Cabrita vai contar com menos 60,7 milhões de euros para o próximo ano, com uma despesa prevista de 2.188,7 milhões de euros. Menos 2,7% face aos 2.249,4 milhões de euros

Mas a tutela de Capoulas Santos vai sofrer um corte maior - que vai chegar aos 108,9 milhões - nas verbas disponíveis para o próximo ano. No total o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural tem prevista uma despesa na ordem dos 1.256,5 milhões de euros. Menos 8% face a 2018.

No reverso, são os Ministérios do Mar e do Planeamento e Infraestruturas que vão ter o maior reforço nas dotações previstas para o próximo ano.

A ministra Ana Paula Vitorino quase duplica o seu orçamento com mais 79,8% no investimento previsto para as políticas do Mar. Em 2019 a tutela vai contar com 127,9 milhões de euros sendo que em 2018 a dotação não ultrapassou os 71,1 milhões de euros.

O ministério que vai ter o segundo maior aumento é o de Pedro Marques, com uma subida de 1.367,7 milhões de euros. No total, em 2019, a tutela dos transportes e obras públicas vai contar com 5.014,4 milhões de euros.

Veja abaixo as dotações previstas:       

                                                                                             Dotação                                   variação

Presidência do Conselho de Ministros                        189,6 milhões                            + 36,1%

Negócios Estrangeiros                                                  414,9 milhões                            + 12,4%

Finanças                                                                         17.816,5 milhões                        + 17%

Defesa                                                                             2.338,9 milhões                         + 17,5%

Administração Interna                                                   2.188,7 milhões                          - 2,7%

Justiça                                                                            1.469 milhões                             + 12,6%

Cultura                                                                            501,3 milhões                             + 12,6%

Ciência e Ensino Superior                                            2.764,1 milhões                          + 18,6%

Educação                                                                       6.421,3 milhões                           + 1,3%

Trabalho e Segurança Social                                      20.966,3 milhões                        + 4,9%

Saúde                                                                           11.013,3 milhões                         + 5%

Planeamento e Infraestruturas                                    5.014,4 milhões                          + 37,5%

Economia                                                                     2.112,5 milhões                           + 4,3%

Ambiente                                                                      2.507,2 milhões                          + 16,9%

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural          1.256,5 milhões                              - 8%

Mar                                                                                 127,9 milhões                             + 79,8%