Cultura

Celeste Rodrigues vai ser homenageada em Lisboa

Fadista morreu aos 95 anos e deixou uma carreira de 73 anos com temas como “Fados das Queixas” e “Pode ser Mentira”

DR  

Celeste Rodrigues vai ser homenageada na Festa do Fado, em Lisboa. 

O evento que decorrerá no café Luso, dia 26 de novembro, irá contar com a presença do neto e do bisneto da fadista, o cineasta Diogo Varela Silva e o guitarrista Gaspar Varela, que a chegou a acompanhar, entre outros artistas e apreciadores de fado.

No mesmo dia, no ano em que se comemora o sétimo aniversário da classificação do fado como Património Imaterial da Humanidade, será também inaugurada a exposição “Fado, Memórias e Revelações”.

A mostra de fotografias inéditas de artistas de fado ficará patente no Luso café, espaço contíguo à casa de fados. 
E como Lisboa é sinónimo de fado, também na Adega Machado, no Bairro Alto, e na casa de fados O Timpanas, em Alcântara, serão expostas fotografias da irmão de Amália Rodrigues e de outros fadistas. As três exposições encerram no dia 26 de dezembro.  

A fadista que morreu no dia um de agosto, aos 95 anos, em Lisboa, cantou no palco do Teatro Tivoli em maio, uma das suas últimas atuações. 

Ao longo da carreira, que começou em 1945 no Café Casablanca, cantou com Jorge Fernando, Diogo Rocha, Fábia Rebordão e Tim, dos Xutos e Pontapés e fez parte do elenco de várias casas de fado lisboetas como o Marialvas, o café Latino e a Adega Machado, entre outras.

 A criadora da “Lenda das Algas”, interpretou ainda temas como ‘Fado das Queixas’, ‘Noite de Inverno’ e ‘ Ouvi Dizer Que Me Esqueceste’.