Sociedade

Câmara Municipal de Lisboa aprova restrições ao alojamento local

PSD e CDS-PP votaram contra e acreditam que a medida não terá quaisquer efeitos

Câmara Municipal de Lisboa aprova restrições ao alojamento local

DR  


A Câmara Municipal de Lisboa aprovou a proposta para suspender a criação de novas unidades de Alojamento Local no Bairro Alto, Madragoa, Castelo, Alfama e Mouraria e em zonas como Príncipe Real, Graça ou Cais do Sodré. 

A proposta foi aprovada com os votos favoráveis do PS, BE e PCP e com os votos contra de PSD e CDS-PP, segundo fontes municipais contaram à agência Lusa. 

Caso a restrição seja aprovada pelo executivo, seguirá para a Assembleia Municipal onde, caso tenha o aval dos deputados, entrará em vigor logo que esteja publicada em Boletim Municipal. 

No final desta reunião o vereador do CDS-PP João Gonçalves Pereira alegou que as medidas de suspensão é "muita parra e pouca uva" em declarações à agência. "Há muita conversa para inglês ver, mas na prática os efeitos vão ser poucos ou nenhuns".

"Esta suspensão tão pouco serve para resolver os problemas identificados nos bairros com maior pressão de alojamento local, seja o aumento de preços da habitação, do comércio e dos serviços locais, a gentrificação do comércio, os problemas cívicos e comportamentais, entre outros", disse João Pedro Costa do PSD. 

No entanto, a comunista Ana Jara disse à Lusa que "é muito óbvio que se teria de travar" o registo de alojamentos locais, mas que esta suspensão deveria ter sido baseada também em fatores "sociais e que afetam a economia local". 

Uma ideia que vai de acordo com o defendido pelo BE que defendeu a necessidade de uma contenção noutros locais e um gabinete de fiscalização. 

 
Os comentários estão desactivados.