Tecnologia

Prémio EDP Open Innovation quer poupar à EDP um milhão por ano em penalidades

As três startups galardoadas vão poder apresentar o seu projeto durante a edição deste ano da Web Summit

DR  

A EDP Open Innovation anunciou esta terça-feira os vencedores da edição de 2018. A startup suíça Samawatt foi a grande vencedora recebendo um apoio de 50 mil euros e a possibilidade de estar presente na edição destes ano do Web Summit.

O projeto pretende reduzir os gastos com as penalidades aplicadas sobre as estimativas da energia elétrica (em inglês electric grid embalace) das energias renováveis que grandes empresas como a EDP têm de apresentar diariamente. Ao apresentarem uma previsão diferente da energia real acumulada, as companhias têm de pagar uma penalização, “porque se não as pessoas dizem um número qualquer”, explica Mahmoud Hamada, CEO da startup.

Recorrendo a funções matemáticas, a Samawatt pretende reduzir o valor das penalidades da EDP, “potencialmente, até um milhão de euros por ano. São esses os nossos objetivos”.

Para além da Samawatt as empresas EzzingSolar (Espanha) e Ecolibrium (Índia) foram também galardoadas no evento que decorreu no LASC – Conde de Óbidos, em Alcântara. As duas empresas vão poder estar presentes durante a edição da Web Summit a mostrar o seu projeto.

Este é já o sétimo ano em que a EDP se junta ao jornal Expresso na procurar por ideias que ajudem a tornar o mercado da energia mais eficiente e sustentável. Este ano, candidataram-se mais de 200 startups de 34 países – mais países do que a EDP está representada. Ao top 10 chegaram empresas de diversos continentes, incluindo uma portuguesa.