Internacional

Conheça a história do homem que é um dos maiores assassinos de sempre e que matou 186 rapazes e violou outros 200

Agora, pode estar quase a sair da prisão por bom comportamento

Chama-se Luis Alfredo Garavito, mas é mais conhecido pela alcunha “A Besta”. Ao longo de vários anos, espalhou o terror na Colômbia e é considerado um dos maiores assassinos em série de toda a história.

Em 1999, quando foi preso, confessou ter matado 186 rapazes e violado outros 200. Depois de estar o crime confessado, apanhou pena máxima de 40 anos – lei estabelecida na Colômbia.

Em 2006, Luis Garavito revelou onde se encontravam os cadávares de alguns rapazes que matou e, por isso, viu-lhe ser reduzida a pena para 24 anos.

Neste momento cumpre o 20º ano de cadeia, mas existe a possibilidade de sair mais cedo por bom comportamento.

A história foi dada a conhecer pela estação de rádio colombiana RCN – que teve acesso a uma carta enviada pela Procuradoria-Geral deste país à unidade de Crime Organizado da polícia nacional. Na carta pode ler-se que “tendo em conta que o senhor Luis Alfredo Garavito Cubillos (…) se encontra à beira de cumprir com a pena que foi reduzida no estabelecimento penitenciário de Alta e Média Segurança de Valledupar, distrito de Cesar, respeitosamente solicito-lhe que reveja se alguns dos despachos judiciais a seu cargo revelam mais investigações contra o senhor citado”.

A PGR do país procura outros crimes que tenham sido realizados por Garavito, mas que não tenham servido como prova de acusação, uma vez que pretende estender a pena deste recluso.

Na Colômbia, neste momento, as leis já não permitem que haja uma redução de pena em casos de homicídios em série e violação de menores.

“O perigo que pode representar [para os outros] é importante para o Estado e em parte justifica a atitude da Procuradoria Geral de perguntar se há outras investigações ainda não prescritas contra ele, por atos relacionados com delitos sexuais, homicídios ou sequestro de menores. Isso permitiria concluir que esta pessoa é um perigo para a sociedade e um risco latente”, explicou um especialista em direito penal à CNN.

Os crimes cometidos pela “Besta” ocorreram durante cerca de sete anos, e foram realizados praticamente todos na Colômbia.

Modus Operandi

A forma como Luis Garavito realizava os crimes foi descrita ao pormenor pelo jornal espanhol ABC.

Garavito procurava rapazes que tivessem uma idade compreendida entre os 8 e os 16 anos, de classes baixas, e ia a sítios como parques infantis, ringues desportivos, terminais de autocarros, mercados e bairros marginais da Colômbia.

Depois de fazer o reconhecimento dos alvos, dirigia-se aos mesmos e oferecia-lhes dinheiro em troca de companhia para dar um passeio. Depois disso, o homem bebia álcool e, quando já se encontrava embriagado, atacava-os em zonas recônditas.

O violador e homicida amarrava-os e agredia-os, dando-lhes pontapés no estômago, no peito, nas costas e na cara. Além disso, muitas vezes partia-lhes as mãos com pisadelas, dava-lhes socos nos rins e saltava em cima destas, com o objetivo de lhes partir as costelas.

Depois de os agredir violentamente, utilizava uma fava e uma chave de fendas para os mutilar.

Antes de os matar, as vítimas que mais lhe agradavam eram violadas. A seguir a tudo isto acontecer, abandonava depois as vítimas em descampados, onde em alguns casos ficavam só os restos dos ossos das crianças.